quinta-feira, 15 de maio de 2008

atraso de vida

Feliz dia das mães.
Assim, atrasado mesmo. Fiz uma média e descobrí que sou atrasada com a vida mais ou menos 2 semanas. Portanto estarei chegando nessa ocasião festiva em alguns dias.
As pessoas me ligam, só retorno semanas depois. Mesma coisa com exames médicos. Levo um mês para marcar, quando marco é para daqui 45 dias, esqueço de pegar os ditos depois e levo 6 meses para retornar ao médico que me pediu esses exames. Ou não retorno nunca mais. Responder email, então, nem se fala. As vacinas dos meus filhos estão mais acumuladas que a Megasena. E o povo acha que sou mal educada, grossa, sem consideração. Ai, ai....
Não é por mal que isso acontece, é porque tenho filhos. Tem sempre um ou alguma coisa no caminho quando a gente tem que ir no banco, fazer supermercado, terminar aquele free lance, escrever mais um capítulo do livro (sim, logo logo vamos ter um livro!); tudo no mesmo dia num espaço de tempo de duas horas e quarenta minutos. Um deles impreterivelmente fica doente quando tenho, uma vez ao ano, uma festa ou jantar; outro que decide que precisa fazer cocô na hora de sair (quando já estamos com 20 minutos de atraso) e leva mais uns 15 minutos cantando no vaso enquanto a vontade vai e vem. Quantas vezes não tive que voltar para casa do meio do caminho porque um esqueceu de escovar os dentes ou a outra deixou o casaco em cima da cadeira? Essas coisas todas acontecem no meio do nosso dia-a-dia que já está cheio. A gente vai se enrolando e quando vê a bola de neve já está indo descontroladamente morro abaixo. Em alguns momentos eu gostaria que o dia tivesse 32 horas, para pelo menos dar tempo de sentar e tomar um chá como se fosse gente. Nesses momento sempre me vejo cantando a música do coelho da Alice:

É tarde, é tarde.
É tarde até que arde.
Ai, ai meu Deus,
Alô, adeus,
É tarde, é tarde, é tarde.

Apesar de tudo, tento parecer calma diante deles e não apressá-los. Ainda não é hora de começar com essa ladainha com esses projetos de gente. 

Para terminar, ainda no assunto que nem comecei-o dia das mães-queria dizer que foi uma semana intensa, cheia de emoções. Chorei até com o comercial de dia das mães das Casas Bahia, ora vejam se pode-ok, a TPM teve 40% de participação das lágrimas, mas a gente fica mesmo mais sensível, não fica? Ganhei 2 lindos desenhos (e só, fiz questão) feitos pelas mãozinhas das minhas crias. Ainda temos mais comemorações neste sábado. A escola resolveu atrasar o evento para que todas pudéssemos curtir em paz. Já até separei os óculos escuros e os lenços de papel, e se conheço bem as outras mulheres teremos, como sempre, um amontoado de mães sentadas no chão enxugando lágrimas disfarçadamente pelo canto dos óculos escuros enquanto a petizada canta alguma música com letra de rimas duvidosas (porém mais emocionantes do que último capítulo de novela) bem ensaiada para a ocasião.

2 comentários:

Bia madureira disse...

Oi Fla!
adorei o seu blog...seu texto é perfeito! somente quem é mae ativa sabe disso!estamos sempre atrasadas com tudo mesmo usando
Notebook,palm,I-phone... estando conectadas 26horas...e o pior no max 2 deastas horas são nossas!!
Relaxar nem pensar... chorar, se emocionar, brigar, sorrir, educar...tarefas infindáveis que as maes que escolheram ser ativas...( ha aquelas que preferem delegar)nunca terminam!
Feliz dia das maes para voce tambem!bj
Bia Madureira

Ana Cruz disse...

Flavia,

Já tinha lido, mas tive que reler hoje para uma amiga. O texto ficou perfeito e sabe que o problema é mesmo geral. A piscologa da minha cliente diz que o problema dela é que acredita que o tempo é elástico.
Acho que eu também sou assim!
Um super beijo e parabéns pelo blog.

Ana Carolina Cruz (mãe da Isabela)